Da cabeceira do paciente a Telemedicina – Um breve recorte histórico.

Da cabeceira do paciente a Telemedicina – Um breve recorte histórico.

O Atendimento médico, até chegar nos dias atuais, onde se discute os pontos positivos e negativos da Telemedicina, passou por profundas transformações ao longo do tempo. Fazendo um breve recorte histórico, percebe-se que no viés científico, as vacinas no início do século passado, surgiram dando novos ares de esperança no combate a algumas doenças.

Já no que diz respeito ao atendimento, o cenário no início do século 20 era muito precário e devido a falta de hospitais e clínicas, os poucos médicos que existiam à época, constantemente atendiam na rua ou no ambiente doméstico.

O desenvolvimento do país e o atendimento médico – causas e consequências.

O advento do estado novo, trouxe profundas modificações estruturais no ambiente urbano do país, visto que até então o Brasil era um país essencialmente agrário. Essas modificações vão desde a construção de companhias estatais, até a  chegada das universidades e hospitais.

A partir daí, os Médicos se afastaram da cabeceira do paciente e começaram a atender também nos hospitais e clínicas sendo geridos pelo poder público e também, ainda que de forma incipiente, pela iniciativa privada. A relação médico- paciente que era muito familiar começava a ganhar contornos estritamente profissionais.

De uma lado tínhamos a profissão de médico crescendo com a chegada das universidades e de outro tínhamos o paciente que começava a adquirir um outro perfil com um nível de exigência ainda maior.

As especificidades também ganharam um contorno importante nesse momento, pois as especializações começavam a chegar nas Universidades e o atendimento passava a ser personalizado não só em critérios de atendimento como também nas suas especialidades.

A convivência entres esses dois agentes (Médico-paciente) ia se transformando e é importante ressaltar que pela inviabilidade do poder público de gerir de forma eficiente o atendimento médico, a população começava a buscar as clínicas particulares que passaram a crescer nas grandes capitais.

Ainda dentro desse recorte histórico, importante lembrar que o crescimento econômico e social no Brasil  sempre aconteceu de forma inconstante, com poucos e curtos momentos de equilíbrio e isso gerou grandes demandas, por parte da população mais carente, por hospitais públicos.  Com isso não muito raro era, como é ainda hoje, perceptível a demora no atendimento até para casos emergenciais.

O Cenário então era uma Medicina cada vez mais em transformação e um atendimento que não conseguia como não consegue em grande parte até hoje acompanhar essa evolução. Essa, inclusive, é uma das justificativas encontradas por quem defende o uso da Telemedicina, ou seja, os avanços do atendimento assim como o seu alcance precisam acompanhar os avanços científicos.

Internet – Ponto chave de uma transformação.

Porém, com a chegada dos mais diversos canais de comunicação o contato com o paciente começou a mudar. As consultas começaram a ser marcadas pelo telefone mas ainda assim o paciente precisava se dirigir a clínica ou ao hospital para pegar resultados de exames ou documentos relacionados a sua saúde.

O fenômeno que mudou profundamente o atendimento foi a chegada da Internet. Nesse momento já era possível marcar e receber exames via e-mail. Os documentos passaram a ser guardados não mais em grandes arquivos físicos mas em pastas virtuais.

Telemedicina – O futuro ainda incerto.

A partir daí, as evoluções ligadas a tecnologia foram acontecendo de forma acelerada e o atendimento se transformando. Essas transformações que ficaram restritas mais a área científica durante um bom tempo, começaram a migrar também para o atendimento e uma das grande novidades do século 21 é o atendimento remoto, denominado Telemedicina.

Regiões geograficamente distantes e com carência de médicos, podem se beneficiar desse novo modelo. O atendimento presencial, no entanto, ainda é premissa básica e só após essa consulta o atendimento telepresencial pode acontecer. Nos casos emergenciais a Telemedicina promete ajudar bastante, principalmente naquelas regiões que faltam médicos especializados.

As Vantagens da Telemedicina são muitas, segundo o portal www.portaltelemedicina.com.br: otimização do tempo, aumento da capacidade de serviços, maior segurança das informações, custos menores e maior rapidez no tratamento.

Este, porém, ainda é um tema  bastante discutido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM)  e as premissas básicas do que é possível ou não referente a esse modelo de atendimento ainda podem sofrer modificações.

O que se percebe, no entanto é que a relação médico-paciente, dentro do recorte histórico explorado nesse texto que se iniciou nas ruas e no ambiente doméstico, agora começa a ganhar contornos desafiadores respaldados pela tecnologia. O que vai acontecer, não sabemos, mas o que podemos afirmar por agora é que o futuro do atendimento médico promete grandes novidades. Vamos seguir acompanhando!

Equipe Meu Médico

Bitnami